Páginas

Pesquisar este blog

terça-feira, 28 de junho de 2011

Construções ecológicas no Brasil

Como prometido os exemplos no Brasil...
Projetadas para estimular a difusão de tecnologias sustentáveis, casas construídas em centros de pesquisas vêm incentivando estudos sobre o uso de energia solar térmica e fotovoltaica, sistemas de ventilação natural e utilização de materiais como tijolos de solo-cimento, painéis térmicos e telhas de fibras vegetais.
Um grupo de pesquisadores do Instituto de Eletrotécnica e Energia (IEE), da Universidade de São Paulo (USP), construiu, em 1998, no campus da Cidade Universitária, uma casa cuja fonte de energia é um painel solar de seis metros quadrados, que gera 75 quilowatts-hora por mês, o suficiente para uma pequena família. Antes do racionamento de energia elétrica no Brasil, ocorrido entre 2001 e 2002, o IEE já economizava 15%, produzindo sua própria eletricidade por meio de células fotovoltaicas espalhadas em uma das fachadas do edifício.
Em Florianópolis, a Casa Eficiente inaugurada em 2006 utiliza fontes alternativas de energia e está em sintonia com as características climáticas regionais. Edificada no pátio da Eletrosul, com 206,5 metros quadrados de área útil, a casa funciona como centro de pesquisa, onde são monitoradas as diferentes tecnologias utilizadas em sua construção. Trata-se de uma parceria entre a Eletrosul/Eletrobrás e o Laboratório de Eficiência Energética em Edificações (Labeee), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
Um dos destaques dessa casa é a utilização de energia alternativa para a alimentação de lâmpadas, eletrodomésticos e equipamentos elétricos em geral. Um sistema fotovoltaico, com painel instalado na cobertura central, é responsável pela geração de energia elétrica, a partir da luz solar. Existem ainda, nas coberturas laterais, coletores solaresresponsáveis pelo aquecimento da água de chuveiros e torneiras. A água aquecida também é utilizada, durante o inverno, para aquecer os quartos, passando por uma tubulação de cobre instalada no rodapé desses ambientes. Para facilitar a manutenção, as instalações hidráulicas e elétricas são em grande parte aparentes. Desde sua instalação, o sistema fotovoltaico da Casa Eficientegerou mais de 5 mil quilowatts-hora, com média mensal de 190 quilowatts-hora. Esse valor seria suficiente para atender totalmente a demanda de uma família morando na casa, com hábitos conscientes de consumo. Ao se analisar os dados de variação da temperatura do ar, foi possível comprovar a manutenção do conforto térmico no interior da Casa Eficiente, mesmo em dias desconfortáveis no exterior (muito frios ou muito quentes). Assim, dentro da casa está sempre mais confortável termicamente do que fora dela. Esse efeito é consequência das suas características construtivas, como o uso de isolamento térmico com vidros duplos, paredes duplas com mantas de lã de rocha, coberturas com mantas de lã de rocha e polietileno aluminizado e com vegetação (teto-jardim).
Na Casa Eficiente foram incorporados materiais de construção de baixo impacto ambiental, como concreto reciclado, madeira de reflorestamento, tijolo de produção local e outros. Para evitar a radiação solar direta, existem proteções solares nas aberturas, como persianas externas e beirais de bambu e madeira. E, para impedir o desperdício de água potável, as águas de chuva são armazenadas e utilizadas para limpeza de pisos, lavagem de roupas e descarga sanitária. Os efluentes da Casa Eficiente são tratados em sistemas de leitos cultivados e parte deles é usada na irrigação do jardim.
Casa eficiente funciona como centro de pesquisas em Florianópolis


Outro exemplo é a Casa Ecoeficiente, com sede no Centro de Inovação e Tecnologia Industrial do Senai, no município de Campina Grande, PB, onde funciona o Laboratório de Energias Renováveis, uma iniciativa do Senai em parceria com a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba (Fiep). Com área útil de 350 metros quadrados, a casa oferece programas de formação profissional, serviços tecnológicos e a difusão de tecnologias nas áreas das energias solar térmica, solar fotovoltaica e eólica. Foi projetada com ventilação e iluminação naturais, tijolos e paredes monolíticas de solo-cimento, painéis térmicos (compostos por placas de isopor e resíduos sólidos), telhas de fibras vegetais e piso feito com madeira de demolição e resíduos industriais. A energia elétrica vem de um sistema híbrido, composto por painéis fotovoltaicos, com potência de mil watts, e uma turbina eólica, com a mesma potência. O sistema híbrido fornece energia para toda a casa, que dispõe de estação de tratamento de águas servidas para reúso, cata-vento para captação de água do poço, sistema solar para aquecimento de água e um dessalinizador. A sala de visita se transformou em auditório para palestras e exposições; os quartos são laboratórios para cursos e desenvolvimento de experimentos e pesquisas; a cozinha e a área de serviço funcionam como laboratório de eficiência energética, equipado com eletrodomésticos usuais ligados à energia solar e eólica, e o banheiro serve como demonstrativo do aquecedor solar e de reúso de águas.
Casa ecoeficiente, parceria SENAI e FIEP em Campina Grande, Paraíba

Texto de Cida Paiva 
Publicada originalmente em FINESTRA
Edição 56 Fevereiro de 2009
_____________________________________

E é claro que além de tudo isso estas casas ainda são lindas e funcionais...  assim vemos que é possível mudar os conceitos e valorizar o que é sustentável... 
Mesmo que possa existir outras obras em nosso país, algo nessas duas me chamou muito e atenção:
O USO REAL ou seja elas estão sendo realmente usadas, não são somente um modelo para visitação e também são utilizadas para que outras pessoas possam aprender sobre o assunto e até utilizar este conhecimento para possível aplicação.

6 comentários:

  1. meu deus essas casas sao tao lindas e ajudam ainda a melhorar o meio ambiente ^^

    ResponderExcluir
  2. Boa Tarde !gostei de projeto...interessante, gostaria e saber se existe mantas de proteção eletromagnética?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde!!! bem com certeza deve existir algum material desse tipo mas acredito que para encontrar vc deva procurar as empresas que fabricam mantas, pois existem inúmeros tipos diferentes de materiais que podem ser utilizados em obras. Vale a pena pesquisar mas uma coisa posso te garantir prepare o bolso normalmente estes produtos são caros.

      Excluir
    2. O novo conceito da construção ecológica,sai até 30% mais barato que a engenharia convencional.

      Excluir
    3. O novo conceito da construção ecológica,sai até 30% mais barato que a engenharia convencional.

      Excluir
  3. Ola!o novo conceito da construção ecológica,sai até
    30% por cento mais barato que a construção convencional.

    ResponderExcluir

Amazon Contextual Product Ads