Páginas

Pesquisar este blog

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Greenwashing? vc já ouviu falar disso??? saiba mais aqui...

Bem hoje como sempre eu acordei bem cedo e levei minha filha a escolinha e por um acaso liguei a TV e estava passando um programa muito interessante falando sobre esse tal de Greenwashing*... gostei muito do assunto e acho que é um tema que vale um post com certeza.


Você já escolheu um produto só por conter na embalagem: ECO ou PRODUTO ECOLOGICAMENTE CORRETO ou então aquele bem clássico AMIGO DA NATUREZA???


Já se perguntou com que critério a empresa X se baseia para atribuir estes valores???


Pois é nem eu.. até hoje 




Greenwashing = Lavagem verde (cara verde) (greenwashing em inglês) é um termo utilizado para designar um procedimento de marketing utilizado por uma organização (empresa, governo, etc.) com o objectivo de dar à opinião pública uma imagem ecologicamente responsável dos seus serviços ou produtos, ou mesmo da própria organização. Neste caso, a organização tem, porém, uma actuação contrária aos interesses e bens ambientais.
RESUMINDO: a empresa ou produto fala que é ecologicamente correta mas na verdade não é.


Aqui no Brasil o GWG* é pouco utilizado, mas já é regulamentado na Austrália, Canadá, Noruega, e EUA , muitas vezes são as próprias empresas que colocam estes selos ou qualificações sem nem comprovarem cientificamente para o consumidor o que realmente a empresa faz pelo meio ambiente ou então até utilizam essas frases e qualificações muito vagas e não explicam exatamente nem qual é a modificação do produto, ONG´s também estão envolvidas pois o fato de uma empresa ajudar uma ONG não pode classificar o produto como sustentável.


Conheça os 7 pecados do GWG*

1. Custo ambiental camuflado
Ação econômica que visa à resolução de um problema mas acarreta outro, obrigando uma escolha. Ocorre quando uma questão ambiental é enfatizada em detrimento de preocupações mais sérias. Por exemplo, o papel não é necessariamente preferível do ponto de vista ambiental apenas porque sua origem é de floresta de manejo sustentável.
2. Falta de provas
Acontece quando as afirmações ambientais não são apoiadas por elementos de prova ou de certificação. Um exemplo comum são as embalagens que trazem informações sobre as percentagens de conteúdo reciclado, sem fornecer qualquer detalhe.
3. Incerteza
Ocorre quando a chamada do produto é tão carente de particularidades como sem sentido. “Natural” é um exemplo desse pecado. Arsénio, urânio, mercúrio e formaldeído são todos naturais e venenosos. “Natural” não é necessariamente “verde”.
4. Culto a falsos rótulos
Quando a empresa cria uma falsa sugestão ou uma imagem parecida com certificação para induzir os consumidores a pensarem que um produto passou por um processo de certificação de produto verde.
5. Irrelevância
Este pecado surge quando um problema ambiental não relacionado ao produto é enfatizado. Um exemplo é a alegação de que um produto é “isento de CFC,” uma vez que o uso dos CFCs é proibido por lei.
6. O “menos pior”
Ocorre quando a chamada do produto afirma ser “verde” sobre uma categoria de produto que não tem benefícios ambientais. Cigarros orgânicos são um exemplo deste pecado.
7. Mentira
É quando as alegações ambientais são falsas. Um exemplo comum é afirmar falsamente ser produtos com certificação de economia de energia.
 FONTE :http://oglobo.globo.com/rio20/os-sete-pecados-do-greenwashing-4733433#ixzz227gsfB00 


Empresas  incoerentes "se pintam" de verde para atrair consumidores


É seu direito como consumidor pedir a prova de que este produto é realmente sustentável, propaganda enganosa é crime!!!



Amazon Contextual Product Ads